Archive for the ‘*Entrevistas*’ Category

h1

Lean Van Ranna em entrevista exclusiva fala sobre polêmicas do passado e lança novo trabalho!

12 de setembro de 2012

Image

 

Lean Van Ranna é músico cantor, produtor vocal, sua carreira no Heavy Metal teve seu auge com o lançamento junto a uma banda de Prog Metal, participou de outras bandas e teve diversos convites como, por exemplo, foi cogitado como um dos papeis e até mesmo o papel principal de um dos CDs de uma Metal Opera a nível nacional, fez as pré produções vocais do Act II e também de músicas do Act III da mesma que ainda não foi lançado ate então, numa enquete a nível Nacional ficou entre os oito melhores vocalistas de Metal do país, fundador das bandas Auryah, UnknownGod, e idealizador de projetos como o Vitam Revocare – The Ultimate Opera, atualmente Lean lançou um CD Demo com sua banda atual Van Heavens que conta com um estilo bem diferenciado do Metal, um som mais na linha da mistura de New Age e World Music contendo letras cristãs, algo que por ele foi chamado de Avant-Garde Music, baixem-no através do link: http://d01.megashares.com/index.php?d01=F3jyNHy

Atualmente Lean está trabalhando uma banda de Hard ‘n Heavy chamada Living Rock com suas primeiras músicas e seus trechos divulgados com letras em português, mas ele diz que não estão descartadas versões em inglês futuramente, para maiores informações desse trabalho acessem o link: http://livingrockbrazil.blogspot.com.br/

 

 A banda já está trabalhando num álbum Full com raízes no Prog Metal e com muitas surpresas para breve! Lean em entrevista exclusiva e sem medo de “retalhações” vai contar tudo envolvendo seu nome sobre as “polêmicas” de sua carreira dentro do Metal ate então!

 

 

Primeiramente Lean obrigado pela entrevista e gostaria de saber primeiramente o que te levou a falar em aberto sobre esses assuntos?

R: Resolvi contar o lado polêmico da minha história até então após muitos problemas que tive e venho tendo ao me aproximar de pessoas que acabam tendo uma visão errônea e distorcida dos fatos de minha vida e sobre meu caráter ao se envolver com alguns que de alguma forma tentaram ou tentam me prejudicar ate hoje, então essa entrevista é para saberem meu lado dessas estórias, o lado da verdade dos fatos, pois prezo por sinceridade e verdade sempre. Por uma questão de ética não citarei nomes, pois não quero prejudicar ninguem, mas quem vem acompanhando minha carreira facilmente saberá de quem estou falando.

Então conte-nos como e quando você começou a perceber essas dificuldades no meio Metal?

 

R: Tudo começou quando deixei minha primeira banda que faz um Power Metal melódico, um dos membros fundadores  da mesma tinha muitos contatos via internet com muita gente do meio “White Metal” e metal secular, e sempre que tinha a oportunidade falava mal de mim a esses, sempre que eu conhecia gente nova no meio White ou metal secular, essa pessoa já sabia da versão dos fatos de minha saída e convívio com a banda quando fazia parte dela contada por esse membro fundador de minha primeira banda, e isso se tornou um incomodo e uma dificuldade muito grande de continuar, pois em qualquer banda que eu começava já percebia que eu estava “pisando em ovos” pois era o tempo todo “sondado” pela mesma para ver se eu não tinha as atitudes das quais esse membro já havia os “reportado” sobre antes…

 

E como você lidava com isso? Acontece ate hoje?

 

R: Lidei sempre com muita dificuldade, quando assumi uma banda de Prog Metal em Uberlândia, deixei toda minha vida em SP e fui morar naquela cidade com pessoas que nem conhecia direito (membros da banda), era uma cultura diferente (MG em relação a SP da onde tinha vindo), era uma igreja diferente, da qual não me dava a liberdade que gostaria ter, nem para namorar, rs, isso mesmo! Conheci uma moça lá da igreja e queria um relacionamento sério pra casar, mas a igreja separou agente por dois meses e acabou não dando certo, nisso, aquele membro da minha primeira banda de Power da qual deixei aproveitou mais uma vez para dizer “coisas” de mim a banda de Prog, e no meu momento de fragilidade eu disse a banda de Prog que não concordava com a visão da igreja e queria estar em outra igreja, mas eles já “contaminados” com as palavras do membro fundador da de Power  sobre mim, me acusaram de rebelde e disseram que se eu não fosse membro da igreja deles teria de deixar a banda e voltar pra SP, e foi o que aconteceu… Mesmo agente tendo um CD gravado, com ótimas resenhas nacionais e internacionais não pudemos dar seqüência nem mesmo a turnê do trabalho que foi interrompida antes mesmo de começar, rs, por essa situação desagradável.

 

Então esse foi o motivo de sua saída da segunda banda citada?

 

R: Sim

 

Quando você voltou para SP assumiu uma outra banda o Southern Lights, (nome mudado depois para Auryah) e ao mesmo tempo foi pré produtor vocal de uma Metal Opera conhecida a nível nacional e não deu seqüência a esses trabalhos, o que aconteceu exatamente?

 

R: O líder fundador e idealizador dessa Metal Opera me convidou para uma participação na banda como um dos vocalistas e também do seu Avantasia Cover muitas vezes desde o final de 2006… Relutei quase todas às vezes, ate que decidi aceitar quando a proposta era pré produzir todas as linhas vocais do CD, dando direção, melódica e harmônica vocal ao mesmo, eu não tinha muita experiência sobre, pensava que quem produzia também tinha os direitos autorais mesmo assim não os quis, queria apenas ser citado como co-produtor vocal ao lado do produtor de renome nacional que ele escolheu para a produção geral do projeto. Porem o nome dele falou mais forte e meu trabalho foi descartado, todo meu planejamento e produção não teria o resultado que gostaria do qual foi o único motivo que me fez aceitar entrar no projeto, o de ser co-produtor vocal do trabalho, então me desliguei da banda e fui muito criticado a nível nacional. O Líder e idealizador dessa Metal Opera chegou a comentar publicamente que eu poderia vir a ser em breve um dos melhores vocalistas do mundo superando ate o Mestre Jorn Lande (eu NUNCA falei isso de mim, era o que ele dizia), e simplesmente me deixou na mão depois e paciência… Porém ano passado conversamos e o perdoei e a Metal Opera está ai para lançar mais um novo CD e dar seqüência ao seu trabalho.

Ps: Tenho aqui músicas das pres vocais que fiz do Act III que ainda não foi, mas está prestes a ser lançado!

Quanto ao Southern Lights mudei o nome para Auryah, pois havia uma banda homônima no sul dos Estados Unidos, perdemos músicos importantes como o baixista e produtor atualmente com o ex vocalista da maior banda de White Metal sueca tocando e ajudando nas produções do CD solo do cantor citado. Isso atrapalhou muito a continuidade do Auryah, mesmo assim contratei um produtor para produzir o CD do Rio de Janeiro, vocalista de uma banda de Prog Metal cantada em português de lá, mas também músico guitarrista, paguei uma quantia para ele produzir o Auryah e a metal Opera Vitam Revocare que estava desenvolvendo, sendo que no Auryah ele ainda tocaria as guitarras, lançamos um EP do qual apenas o Single Four Winds ele produziu, o restante ficou a cargo de mim e outros produtores, foi então que ele desistiu do trabalho e me devolveu “parte” do dinheiro na forma de um Mic Condensador e o restante ficou por isso mesmo.

 

 

E então você começou o UnknownGod Lean, o que deu errado?

 

R: Sim, convidei um músico guitarrista e produtor de SP que iria assumir as guitarras do Auryah e a produção do CD Full já que ele estudou num ótimo instituto de mixagem e masterização em SP e trabalhou na Sony Music, mas eu achei mais interessante começar uma idéia que tinha com um vocalista e produtor proprietário de um estúdio em São Bernardo do Campo da qual tínhamos conversado desde que o conheci no inicio de 2011, montar uma banda com dois vocalistas, um com pegada mais extrema e outro mais melódica, estava montada a banda UnknownGod e chamamos esse guitarrista produtor e o tecladista do Auryah para o posto de guitarrista e tecladista respectivamente assim como outros músicos para compor a equipe. Então gravamos um Single do qual lançamos no fim daquele ano juntamente de um EP muito legal, era pra o EP inteiro ser lançado de graça na net, mas eu sugeri esperarmos por uma gravadora e transformarmos num CD adicionando mais umas três músicas já que a qualidade superou nossas expectativas! No entanto, fui morar em São José dos Campos, pois estava tendo alguns problemas familiares quanto à aceitação por parte de minha família na época de minha namorada (hoje minha esposa), algum preconceito por não a conhecerem bem por ela morar até então no Nordeste do país, ou sei lá, (hoje completamente superado, tudo está muito bem, inclusive com minha família), nos mudamos com proposta garantida pela igreja do até então meu amigo tecladista do Auryah e UnknownGod da qual eu gravaria o CD do ministério de Louvor da igreja como um dos vocalistas e seria produtor vocal do mesmo, além das aulas de canto para o grupo de louvor da mesma extendidas também aos membros que solicitassem. Fui muito bem acolhido numa casa mobiliada cedida por uma das membras da igreja, porém todos os gastos com alimentação para mim e minha esposa seriam por nossa conta. Foi um mês ali e nada de produção muito menos aulas, eu tive de rodar a cidade procurando alunos para poder me manter e a igreja ajudou com um botijão de gás, 20 reais e uma cesta básica, sendo que a casa não tinha geladeira, comprávamos o que podíamos consumir num dia, e faltavam muitos alimentos básicos na cesta e estávamos passando necessidades, foi quando liguei para o Pastor da igreja (tenho esse telefonema gravado) sugerindo que fizessemos um contrato assegurando todos os meus serviços prestados à igreja. Ele não aceitou e ainda disse que eu tinha poucos dias para deixar a casa, não satisfeito com a conversa ele foi ate a casa que eu estava e quando comentei aquilo que não me agradava ao mesmo ele me agrediu, naquele momento fiquei muito abalado, mas já procurando um jeito de sair daquele local… O tecladista quando soube da história pela versão do Pastor (que é tio dele) ou de alguém próximo ao Pastor,  contou para os membros da banda UnknownGod, fez uma nota sobre sua saída da mesma e contra mim em rede social e desligou-se da mesma. Após algum tempo e eu alertando o outro vocalista para tomar cuidado com as “más línguas” de pessoas que nem da banda eram mais, (caso desse ex tecladista do UnknownGod e também os demais que se “contaminaram” com as “palavras” daquele músico da primeira banda de Power que fui membro e eram meus “inimigos”), o outro vocalista da UnknownGod reuniu a banda com ajuda do guitarrista e produtor da mesma (dos quais acreditaram nas mentiras do tecladista que soube dos fatos em São José distorcidos por terceiros sem estar presente aos mesmos) e me tirou da banda UnknownGod (mesmo eu sendo o membro fundador e ate quem sugeriu o nome da mesma) e publicou uma nota internacional em inglês e outra em português via rede social, me fazendo assim também perder a oportunidade de gravar com uma banda de Rock Prog no estilo Oficina G3 que indiquei para ele produzir e eu tinha sido recentemente anunciado como vocalista. E então eu fui a público como líder fundador da banda UnknownGod e  notifiquei que a banda não iria continuar mais e que o CD seria disponibilizado, coloquei o Link do mesmo na internet! O outro vocal se enfureceu e num ato de vingança sem precedentes divulgou um vídeo com conteúdo difamatório terrível sobre minha pessoa, recheado das mentiras que o tecladista tinha ouvido sobre mim e o contado. Desde então foram inúmeras tentativas de retomar a banda sem sucesso. Foi então que o tecladista me ligou e pediu perdão do acontecido e eu que nunca tinha exposto a ele publicamente (ao contrario dele que ate nota já tinha feito sobre sua saída da banda e sobre um possível atrito comigo que a meu modo de ver não tinha ocorrido, aconteceu um atrito com o Pastor e tio dele mesmo assim hoje resolvido) resolvi perdoar e dar uma nova oportunidade a ele montando a banda Van Heavens Chronicles com parceria num projeto DUO com o tecladista.

 

Então assim que surgiu o Van Heavens, e como está a banda hoje?

 

R: Bem, uma das atitudes que tive antes de montar o Van Heavens foi ir ate a igreja do Pastor e tio do tecladista publicamente pedir perdão aos membros e ao Pastor mesmo sabendo que não tinha motivos, pois a palavra de Deus pede pra nos humilharmos e eu estava cumprindo a mesma, fui bem recebido, o Pastor também me pediu perdão (mas não em público, apenas a mim e disse que iria precisar ainda de minha ajuda na produção do CD da igreja) e então começamos o tecladista e eu a planejar como seria o Van Heavens Chronicles, selecionamos músicas e começamos a desenvolver a idéia e produzir o trabalho que de Metal Progressivo teve uma amplitude de idéias bem mais expansiva e elaborada. Após um tempo vimos a necessidade de colocar mais músicos na banda e não ser apenas um projeto DUO meu junto ao tecladista. A banda ia muito bem, temos um demo recentemente lançado com músicas atmosféricas, num estilo não tão convencional, bem experimental e galgado na idéia de trilhas sonoras de filmes entre estilos variados acústicos. Foi quando o tecladista decidiu se desligar da banda para dar ênfase a projetos Pop Gospel. Sinceramente me senti muito traído a principio, por não ser a primeira vez que ele começava e não terminava um trabalho comigo, falei com ele e com músicos envolvidos em trabalhos que eu participava com ele de música Gospel da minha decepção, foi quando ele e eu mesmo tendo decidido não falar nada em aberto sobre o assunto, ele postou em rede social aberta em fóruns sobre sua saída de forma pejorativa dizendo que eu havia dito coisas terríveis dele quando elese desligou da banda e etc. Sendo que eu apenas disse que pela segunda vez ele tinha me deixado na mão em quatro meses mesmo nos conhecendo há quatro anos e coisas do tipo, confesso que disse de uma forma visivelmente mais pesada como um desabafo decepcionado (porém sem palavras torpes) pois me encontro cansado dessas “palhaçadas”, mas era um assunto particular tratado com ele e membros do grupo de louvor que participavamos via In box  do Facebook (inclusive um com carreira solo da qual ele assumiu os teclados nas gravações e composições dele) e não algo que tinha de parar de forma pública, esse foi um dos motivos que me levaram a me dirigir dessa forma nessa entrevista e dar minha versão resumida dos fatos, vamos parar com mentiras e manipulações a verdade precisava aparecer de fato, mesmo que resumida e sem “dar nomes aos bois”. O tecladista após o último ocorrido novamente me liga, pede perdão e eu o perdôo mais uma vez e digo que faria um comentário sobre o assunto abrindo um tópico em um dos grupos que o assunto tinha sido mais comentado dizendo que não passou de um mal entendido via In Box e foi exatamente o que ocorreu, todas as conversas foram por lá, e o leva e traz e “fofocaiadas” de praxe caíram na rede aberta! Mas infelizmente ele voltou a me ofender por mensagens dessa vez por SMS, então fui ate ele pessoalmente e disse que nossos contatos acabariam ali, infelizmente tive de me  me afastar completamente para evitar mais constrangimentos.  

O Van Heavens Chronicles na verdade foi uma serie de trechos instrumentais dos quais já existiam anteriormente não só desse tecladista como de outro que também tocava guitarra na banda dos quais trechos eu os reorganzei, produzi e criei linhas melódicas os transformando em músicas atmosféricas, a música Silent Breeze tem todos os arranjos pertencentes a mim e não foi gravada por nenhum tecladista, verdade seja dita, mas não me importava que outros levassem os créditos, é a primeira vez que falo sobre, acho que de tanto tomar essas pancadas tenho de confessar como desabafo o quanto dava créditos aos músicos que tocavam comigo as vezes sem eles desenvolverem o trabalho com o empenho que precisávamos, fazia isso como maneira de incentivá-los, algo que não farei mais daqui por diante, verdade seja dita! Vocês podem baixar esse trabalho nesse link: VAN HEAVENS CHRONICLES – DEMO 2012 – ACOUSTIC & ATMOSPHERIC, BAIXEM!!!      http://d01.megashares.com/index.php?d01=F3jyNHy

Infelizmente após os últimos acontecimentos a banda não continua mais.

Conte-nos um pouco Lean quem são as pessoas e os motivos delas terem algo contra você no meio Metal?

 

R: Bem, tudo começou com os irmãos e fundadores da banda de Power da qual fui membro entre 2003 e 2007  um deles ultimamente mudou bastante e tem se mostrado mais imparcial a tudo isso, inclusive voltou com a banda mas o outro que ate hoje da margens a discussão não está mais na banda. Desde que eles começaram a falar de mim ao meio Metal Nacional cristão e secular minha vida se tornou um inferno, e eu costumo dizer que existem 3 tipos de pessoas que passam pelo meu caminho no meio Metal:

 

1-      As que esse cara falou mal de mim e por esse motivo tem extrema dificuldade de acreditar em mim e desenvolver um trabalho comigo tornando-se tudo mais difícil.

2-      As que esse cara falou mal de mim e não se importam (aparentemente) com o que ele ou as pessoas que ele influenciou dizem, mas sempre que tem uma oportunidade ficam com o “pé atrás” comigo transformando as vezes mínimas situações em uma chance de me derrubar ou me descartar de medo que eu as prejudique também. rs

3-      As que não conhecem esse cara e nem as pessoas que ele influenciou negativamente contra mim, essas eu sempre me dei muito bem, incrível não? rs

 

Todos sabem que calunia e difamação é uma bola de neve, óbviamente isso se alastrou e tem muito mais gente que me “odeia” e não me respeita ainda hoje, isso me prejudicou muito até então, por isso não citei nenhum dos nomes que conheço e sei também de pessoas que ate nem me conhecem pessoalmente e outras que nunca nem se quer conversaram comigo, mas me tem como uma grande “perturbador da força” do meio Metal nacional. rs. Pessoas que não confiam na minha palavra, nos meus conselhos, e até no meu profissionalismo cmo músico, enfim, é um meio complicado pra mim, mas sou brasileiro, não desisto nunca! rs

 

E quais são seus planos futuros?

 

R: Atualmente estou com um novo e definitivo projeto que se chama Living Rock, foi necessário recomeçar do zero novamente porem estamos com muito pé no chão e coração no céu, mais do que sempre, e isso nos faz fortes pra recomeçar a missão em nome de Jesus que é fazer Rock/Metal em prol do Reino de Deus. Escutem e baixem o nosso Single, sigam-nos nas redes sociais e saibam mais sobre em nosso Blog Oficial que sempre será atualizado com news e vídeos sobre como estão nossos trabalhos: http://livingrockbrazil.blogspot.com.br/

 

E tem mais coisa boa pintando, espero que o mais breve possa anunciar, mas como já tenho dito estamos com os pés no chão hoje em dia mas trabalhando e orando com novos projetos abençoados pra glória do Senhor.

 

Obrigado Lean pela entrevista que Deus abençoe sua caminhada!

 

R: Eu que agradeço, e em nome do Living Rock desejamos o melhor de Deus a todos, e que a verdade que liberta continue transformando vidas através da Graça e amor de Jesus Cristo! Amem.

h1

Van Heavens Chronicles apresenta sua Vanguard’s Music em entrevista exclusiva!

20 de maio de 2012

Image

Van Heavens Chronicles é um novo projeto baseado em várias perspectivas musicais, e pra falar melhor sobre isso fizemos uma entrevista com os idealizadores : Lean Van Ranna e William Vankar, então vamos lá?

Guicyberdude:

Olá Lean e William tudo bem, conte-nos como surgiu a idéia do projeto Van Heavens Chronicles?

R-Lean: Tudo ótimo! Bem, surgiu quando vimos a necessidade de fazer um som completamente livre de exteriótipos, levando toda nossa influência musical para o som, a principio era um projeto solo meu, quando chamei William e resolvemos fazer tudo em parceria, justamente por termos ideias muito parecidas musicalmente em nossas influências.

William: Apartir do momento em que fechamos essa parceria, a Van Heavens vem como uma válvula de escape pois sempre tivemos outras influências fora do metal do qual começamos nossa carreira e resolvemos colocar elas no som da banda,  e quando temos total liberdade pra compor um estilo mais livre ficou bem mais abragente e interessante pra gente a proposta segundo o que já estamos produzindo para nosso primeiro trabalho com a Van Heavens.

Guicyberdude:

E quem serão os demais músicos?

R-Lean: São convidados, serão grandes músicos de nossa confiança, resolvemos trabalhar assim por mais autonomia, liberdade nas composições e andamento do trabalho, depois reuniremos a banda e as participações para os trabalhos ao vivo futuramente.
Guicyberdude:

Nos explique o termo: Vanguard’s Music?

R- Lean: É exatamante a junção de todos os estilos, um som de vanguarda mesmo, algo ainda não pensado talvez, trabalhar com liberdade dentro de varios estilos, do Metal ao Jazz, do Pop ao Hard Rock, do Rock Moderno a Musica Clássica, das ideias de trilhas de filmes as atmosferas do rock progressivo, isso é a Vanguard’s Music, a frente do seu tempo, sem se prender a rótulos mas já rotulando, hehe, para mostrar que não temos medo de buscar sempre novos horizontes.

William: E não é necessariamente uma mistura de estilos com o metal, estamos trabalhando diversos estilos diferentes de musica com total liberdade.

Guicyberdude:

Nossa, realmente ousada essa proposta… E então o que podemos esperar musicalmente para o primeiro trabalho?

R- Lean: De mim podem esperar bastante empenho, desde as músicas com pegada mais Heavy Metal ate mesmo as pegadas vocais de melodia e harmonia quanto aos outros estilos “surpresa” que estarão nesse trabalho! Estamos empenhados a quebrar tabus,

William: Tambem estou bastante empenhado, hehe. Iremos buscar mais a raiz dos estilos musicais como foi dito, por exemplo, quando se pensa em Jazz é remetido ao Jazz contemporâneo e o Fusion, mas pode rolar um Jazz Clássico começo do Século XX, como por exemplo a música Pop dos anos 80 que presava muita harmonia musical em sua essência as vezes até progressiva, romântica, com um bom trabalho harmônico, isso tambem não necessariamente é uma idealização fixa, podemos viajar dentro desses padrões e ate quebra-los, a ideia que Lean e eu temos para o Van Heavens é como ele já disse aqui é a de quebrar tabus.

Guicyberdude:

Em termos de letras, o que estão pensando para o trabalho?

R-Lean: As letras serão de cunho voltado ao louvor, adoração, juntamente com o povo cristão e também o evangelismo, com esse trabalho vamos mostrar o universo cristão com muita liberdade de expressão, trazendo as pessoas de fora se envolverem conosco sem preconceitos de exteriótipo musical ou comportamental, o que fará a diferença é o Espirito de Deus que nos dá essa liberdade e é Ele quem faz a obra.

Guicyberdude:

Estão preparando o primeiro trabalho, como será chamado, em que formato será lançado e pra quando será o lançamento?

R- Lean: Estamos sim, focados no nosso EP de apresentação, será chamado de “Overture” e além da versão em inglês poderá ter uma versão totalmente em português,  ou pelo menos de algum dos sons, escolhemos esse formato em EP por ser mais prático, menos músicas e tempo do trabalho, onde as pessoas poderão ter uma noção do caminho musical que iremos tomar num espaço de 15 a 20 minutos de música no total, esse trabalho de apresentação estará já disponível no começo do segundo semestre de 2012, aguardem, será antes do fim do mundo… rsrs… Brincadeira!

William: A todos que estão acompanhando o trabalho do Van Heavens pelo blog Oficial conferindo os trechos de nossa pré produção no www.vanheavens.blogspot.com.br e pelo Facebook, podem aguardar um trabalho consciente, consistente, e muito variado musicalmente, talvez o melhor trabalho que já participei como músico e quem sabe um grande marco para musica contemporânea, algo realmente de vanguarda, é o Vanguard’s Music style… hehe…
Guicyberdude:

Deus abençoe o trabalho de vocês, estamos aguardando!

R- Lean e William: Obrigado, fiquem na paz, já está entrando no forno, em breve vocês poderão conferir, torçam e orem por nós!

h1

Entrevista com Andy Robbins do Holy Soldier

23 de abril de 2012

holy soldier christian hard rock band

1-) Primeiramente, obrigado por essa entrevista que será feita.
 Andy, a banda Holy Soldier teve uma divulgação grande no começo, muitas pessoas conhecem a banda tanto no meio secular quanto cristão, como foi esse grande trabalho de divulgação ?

Obrigado. Tínhamos estabelecido nos primeiros dias da banda para nunca deixar a nossa música cair numa cultura única. Todos nós temos a nossa fé e que era a semelhança do que inspirou a mensagem escrita em nossa música. Foi abertamente cristão, mas não a intenção de entrar como rótulo de música gospel a espalhar a nossa música e nosso mundo através de todas as convicções do largo caminho que poderia entrar, mas sim estar gravando ou em turnê cristão, e tocar grande música.

Thank you. We had set out in the early days of the band to never let our music fall into a sub culture or stereo type. We each have our faith and that was the commonality of what inspired the message in our song writing. It was overtly Christian but not intend for Christian entertainment but for spreading our music and our convictions world wide through every avenue we could get into, rather it be in recording or touring Christian or mainstream, we great playing our music.

 2-) Qual a ligação entre Holy Soldier, Stryper e Daryn Hinton ?

Daryn era nosso empresário por alguns anos. Ela se aproximou de nós para administrar a banda em 1987, 2 anos depois que a banda começou. Ela foi fundamental em investir dinheiro e idéias para a banda, quando estavamos precisando de alguém assim. Ela também ajudou quando mudamos cantores e contratou Steven Patrick. Eu acho que eles ainda são amigos até hoje.

Daryn was our manager for a few years. She had approached us about wanting to manage us about 1987, 2 years after we had started the band. She was instrumental in investing money and ideas into the band when were in the position to need someone like that. She also helped out when we changed singers and hired Steven Patrick. I think that they are still close friends till this day.

3-) Gostariamos de saber a sua opinião sobre as seguintes bandas:
WhiteCross
Guardian
Bride

Minha opinião é que eu realmente gosto dos membros da banda de cada um como pessoas. Tenho tido uma boa amizade com os caras do Guardian, 25 anos quando começamos a sair juntos em Los Angeles e realizamos uma série de shows juntos no passado, incluíndo a nossa primeira turnê do Japão. Estou muito feliz em ver que eles estão de volta a tocar e gravar juntos Cada uma dessas bandas têm alguns grandes músicos, Tony Palacios, David Bach, Rex Carroll, Dale Thompson destaques como estrelas músicais. Eu realmente não escuto esse tipo de música mais. Eu cresci em um estilo diferente dos anos. Eu gostava de assistir seus shows, quando iria realizar juntos, nesses 20 anos ou + atrás.

My opinion is I really like the band members of each as people. I have been good friends with the guys from Guardian over 25 years as we started out together in LA and performed a lot of shows together in the past included our first tour of Japan. I am very happy to see that they are back performing and recording together.

Each of these bands have some great musicians, Tony Palacios, David Bach, Rex Carroll, Dale Thompson each standout as stellar musicians. Hoever I don’t really listen to this type of music anymore. I just grew into a different style of the years. I did enjoy watching their shows when we would perform together those 20 + years ago.

4-) Qual a função de cada membro do Holy Soldier hoje ?
Terry é tocar no NeonCross e trabalhar com Darrell Mansfield, juntamente com o nosso primeiro guitarrista Larry Farkas (Vengeance, Vengeance Rising, Die Happy). Michael está estudando produção musical. Ele e eu também realizamos alguns outros projetos juntos ao longo dos anos. Jaime é um engenheiro ferroviário na Califórnia e ele adora isso; Ele vem conduzindo trens por cerca de 20 anos. Eu sou um baixista (freelance) e produtor. Fui produzindo turnês de música na América Latina desde 2008. Também estou trabalhando em um CD solo a ser lançado ainda este ano. Eu não tenho nenhuma idéia do que Steve está fazendo.

Terry is drumming for Neon Cross and just started working with Darrell Mansfield along with our first guitarist Larry Farkas (Vengeance, Vengeance Rising, Die Happy). Michael is studying music production. He and I have also performed in some other projects together over the years. Jaime is a train engineer in California and he loves it. He has been conducting trains for about 20 years now. I am a session bass player (freelance) and producer. I have been producing music tours in Latin America since 2008. I am also working on a solo cd to be out later this year. I have no idea what Steve is doing.

5-) Qual seria a sensação de todos os membros clásicos com Steven Patrick, juntos em uma nova turnê ? isso seria possível ?

Eu sempre digo que nada é impossível, que fecha as portas e os limites de nossas habilidades, porém trabalhando em conjunto com Steven Patrick é altamente improvável.

 I always say that nothing is impossible as that closes doors and limits our abilities, however working together with Steven Patrick is highly unlikely.  

 Obrigado Andy, pela entrevista, fique livre para deixar uma mensagem sua ao blog, e falar sobre algum trabalho seu, Fique com Deus! que é o mais importante em nossas vidas !

Obrigado pela entrevista amigo. Sinta-se livre para visitar www.andyrobbins.com para obter mais informações sobre o meu trabalho atual.

Bênçãos!

Thank you for the interview amigo. Please feel free to visit http://www.andyrobbins.com for more information on my current work.

Blessings!

h1

UnknownGod: Entrevista com Lean Van Ranna: O que realmente aconteceu com a banda?

16 de abril de 2012

Image

Bem pessoal, esse site sempre tem o intuito de levar o som cristão e tambem a veracidade das noticias no meio White Metal. Mediante isso após os aconteciomentos com Lean Van Ranna fizemos uma entrevista breve com ele para que resumidamente ele nos contasse o que rolou com a banda UnknownGod.

Lean tudo bem? Me conte sobre a UnknownGod o que era?

Tudo bem, agora sim  neh? A tempestade passou! hehe… Então a UnknownGod foi um projeto idealizado por mim em conjunto com Michel Marcos, criei a ideia e o nome, depois juntamos nossas ideias musicas  como vocalistas para um DUO vocal nesse trabalho, começou em Janeiro de 2011 mas parou porque Michel deu enfase na época ao Fortaleza com Jean Nastrini, após um periodo do qual o Fortaleza parou Michel apresentou alguns rascunhos de musicas a mim, recrutamos Ricky Franco que estava comigo na Auryah e ele começou a produzir as músicas do Michel na parte instrumental assim como eu produzi os vocais, melodias, e letras, tanto meus quanto os do Michel.

E porque então a banda parou? O CD já estava gravado?

Bem, o EP já estava gravado e seria disponibilizado gratuitamente na net, mas eu sugeri a banda esperar e gravarmos mais 3 musicas pra lançarmos um album cheio. Porem a banda parou por uma serie de fatores em off que agora vou revelar…

Fui convidado para morar em São José dos Campos para dar aulas de canto ao grupo de louvor e membros da igreja e tambem produzir os vocais do CD de louvor da C.E.I.E. Fomos muito bem recebidos e acolhidos por uma membra da igreja em sua casa da qual estava vazia e imobiliada, (ela morava em outra) até encontrarmos um lugar nosso, mas para isso teriamos de começar a receber das aulas e produção para locar uma casa pra mim e então minha esposa Juliana. Porem, não entendia o porque a cada dia minha relação com o Pastor ficava mais truncada, e não houveram aulas, eu sendo obrigado a procurar por mim mesmo escolas de música e igrejas para dar aulas e arcar com as despesas da casa. Após um mês e uma semana de dificuldades com isso, resolvi conversar com o Pastor pra fecharmos um contrato de aulas e produção pra ver se as coisas caminhavam melhor, inexplicávelmente ele me tratou muito mal e aconteceu uma série de transtornos. Tivemos de deixar a casa, Juliana e eu voltamos pra Guaratinguetá para recomeçar a vida.

William Vankar (que deixou a banda após os acontecimentos de São José) que não acompanhou os fatos, foi informado pela dona da casa e seu filho dos acontecimentos em São Jose dos Campos, horrorizado com a situação após um mês tendo deixado a banda, contou aos membros da UnknownGod mais especificamente a Michel Marcos que repassou a Ricky Franco, (eu tenho o texto hoje em mãos do que ele disse aos caras), eram tantas mentiras e baixarias que eu fiquei muito escandalizado, distorceram todos os acontecimentos!

Nesse meio tempo pedi ao Michel não ter contato com pessoas que não estavam na banda ou pessoas que maldosamente ainda me perseguem, algo que me acontece desde que sai da dElohim em 2007.

Então Michel me tirou da banda sem ao menos me dar um telefonema… Como eu era co-autor do album e ele iria regravar todas as minhas partes vocais, soltei o album na Internet pra que eu pudesse provar que tinha gravado o CD já que gravamos o mesmo em uma semana, quem não garantia que regravariam rápido e eu perderia minha participação numa banda que ajudei a fundar?

Após isso Michel soltou aquele video baseado no que as pessoas falavam a ele de mim e os acontecimentos de São José dos Campos, eram mentiras tão caluniosas que eu fiquei perplexo!

Após um mês, William Vankar me procurou e me pediu perdão do ocorrido, dizendo que não sabia o que realmente tinha acontecido e não era justo o que estava acontecendo, então conversamos muito e chegamos a uma conclusão: A dona da casa e seu filho fizeram a nossa “caveira” (de mim e de Juliana) ao Pastor da igreja, foram uma serie de fofocas terríveis, a mesma pessoa que na nossa frente nos tratava bem, dizia mil coisas por traz nos atacava impiedosamente para que o Pastor nos tirasse da casa que ela nos “cedeu” e atrapalhasse toda nossa produção e aulas com a igreja!

Moral da história, hoje todos os membros da UnknownGod estão ao meu lado, todos viram que eu fui muito lesado com isso tudo e as mentiras do Video do Michel Marcos foram refutadas, ele agiu assim por acreditar em terceiros… Mas o que me entristece de verdade é que o Michel não abre mão do que fez, e inexplicavelmente não aceitou nossa oferta de paz e perdão para voltar com a banda… Oro por ele, que Deus o mostre que não é esse o caminho do cristão, o perdoo, mas me sinto no dever de procurar meus direitos legais para me defender de tais acusações mentirosas e caluniosas, já que do lado dele não ha esforço para ao menos divulgar uma nota ou video pedindo desculpas do ocorrido… Espero que ele volte atrás antes que seja tarde, pois o caso teve de parar na justiça, existe um Fake como: LeanVanHanna666 que reupou o video com dados pessoais meus como telefone, celular, endereço e tudo! Estamos entrando com  uma ação contra o Youtube para tirar do ar o video, e consequentemente contra Michel Marcos, já que ele nem está fazendo nada quanto a isso…

Nossa Lean, impressionante… Então quer dizer que sua relação com os membros da banda está intacta novamente?

Sim está, a verdade apareceu, e só estou me pronunciando nessa entrevista porque não aguento mais ter de recusar propostas de emprego por medo de quando pesquisarem meu nome na Internet acharem esse video, e ate eu explicar o caso seria um grande transtorno… Estou apenas com minhas aulas particulares e produzindo alguns alunos ques estão gravando seus Cds.

Lean, que bom que tudo foi resolvido! Me fale dos novos projetos?

Bem, confesso que estou entrando neles com os dois pés atras, mas estou fazendo de coração e muita fé em Deus de que isso tudo vai acabar, é muita confusão, calunia, e difamação desde que deixei minha primeira banda, não tenho paz pra trabalhar… Mas agradeço a Deus e a todos que ainda acreditam e apoiam meu trabalho! Atualmente estou gravando com a banda DOXO, e produzindo o Album da Auryah que conta com  3 ex UnknownGod, William Vankar, Ricky Franco e Marcelo Alvix, espero em Deus que tudo dê certo agora, que eu não precise recorrer a midia pra falar de assuntos tão chatos,  e que nunca mais coisas assim aconteçam, a paciência esgotou neh? rs…

Pois é Lean, obrigado pelo esclarecimento, o video foi bastante visto pelo meio Metal Nacional, espero que essa entrevista alcance tambem o mesmo numero de pessoas e esclareça o acontecido de uma vez por todas. Obrigado por se declarar pra gente!

Eu tambem espero, é o que mais gostaria que acontecesse, foi um prazer novamente ceder uma entrevista aqui nesse espaço abençoado, espero como disse e reitero só vir com noticias boas daqui por diante! Agradeço de coração o espaço e mais uma vez os músicos que confiam em meu trabalho como Ricky, Marcelo, Ivan, Milfont, Jr, Renan, Vankar, Fabbio, Jefferson, entre outros…  Enfim, uma galera bacana que ta comigo nessa nova empreitada, breve lançamentos pra envergonhar o mal e trazer luz aos povos! Metal Cristão é guerra, mas contra as trevas!!! Valeu!!!!!!!!!!!!!!!!

h1

Entrevista: Lean Van Ranna abre o jogo e conta tudo sobre sua carreira.

2 de setembro de 2011

Após um tempinho desatualizado por falta de tempo mesmo, rs. Estamos de volta e com uma entrevista super interessante com o vocalista de White Metal Lean Van Ranna que dessa vez abre o jogo e conta tudo sobre sua carreira.

Guicyberdude:

Lean como e quando começou a sua carreira?

Lean Van Ranna:

Foi com a banda de Power Metal dElohim em 2003, já cantava metal desde 1994, participei de uns ensaios com uma banda cover de Helloween mas o Senhor me chamou para o metal cristão e no começo de 2003 foi minha estréia na banda dElohim como vocalista.

Guicyberdude:

Como foi sua experiência com o dElohim e porque você deixou a banda?

Lean Van Ranna:

Foi muito boa a experiência, gravamos um demo já em 2003 com uma música minha originalmente composta por mim em 2000 a Lord´s Day e a divulgamos juntamente com um cover de Stryper da To Hell With The Devil gravada ao vivo em um de nossos primeiros shows. Fizemos vários shows no meio cristão e até secular mas sempre ousadamente levando a palavra de Deus sem medo ou qualquer tipo de timidez, em 2005 gravamos o demo The Choice is Yours, (o mesmo foi remasterizado pelo M&H estúdio esse ano contendo uns bootlegs de demo em versões diferentes em estudio e ao vivo, procure na net por dElohim – The Choice is Yours – Remastered) após 4 anos de convívio como banda e alguns problemas infelizmente não pudemos continuar, alguns problemas que eu tive com um relacionamento amoroso com uma garota e seu termino repentino que me deixou muito depressivo a convivência com a banda começou a ficar abalada, nós que conhecemos a Cristo sabemos o quanto o inimigo luta pra destruir um ministério por Deus abençoado, e tinhamos muita unção ao ministrar a palavra pela graça de Deus, porem as coisas começaram a ficar insustentáveis quando além de meus problemas pessoais que acabava afetando meu relacionamento com a banda (que eram quase meus únicos amigos alem deles tinha poucos outros), rolou tambem uma discordância quanto o foco da banda eu gostaria muito de continuar pregando nos shows pois Deus me dava muitas palavras e a banda queria que eu pregasse menos e cantasse mais, mas era algo que estava dentro de mim e eu não conseguia fazer diferente, foram varias discussões teológicas ate mesmo quanto ao tema de uma de nossas músicas de letra escrita por Thiago Lopes a Babylon, da qual eu havia encontrado algo que me incomodou, falava assim algo assim: “Nossa fé será renovada no céu”, a palavra diz que no céu apenas permanecerá o amor, vide I Cor. 13, fé agente precisa aqui nessa terra para alcançar a promessa não precisaremos após alcançar a promessa, mas achavam relevante e interpretavam diferente de mim alguns pontos teológicos. E pra completar numa época em que eu estava trabalhando chamaram outro vocalista pra gravar um suposto DVD aquilo me matou por dentro e me abalou muito, mas eu gostava do ministério apesar de tudo não sou um cara que desiste fácil, a banda tambem tinha um desejo de tocar covers seculares de bandas das quais suas letras não me agradavam, tanto que gravaram a música Hey Lord do Helloween com a formação posterior (Não concordo com “Hey Lord” me soa desrespeitoso se referir ao Senhor assim se tratando de uma banda cristã cantando), enfim, fizemos uma reunião e eu coloquei todas as minhas opiniões quanto a tudo o que achava então o lider na época Thiago Lopes decidiu me descartar dos planos da banda, tinhamos recentemente lançado um Demo que abriria portas pra gente com certeza pra mais shows, eu decidi não liberar as minhas composições e minha voz nesse demo pra eles continuarem a banda sem mim, talvez tenha errado nesse aspecto porem imagina cara, vc ver um sonho seu ir embora assim tão fácil? A banda então não acatou o meu pedido e fizeram inumeros shows com o novo vocalista usando minhas composições e a voz que eu gravei no demo, e eu tentava fechar shows com o demo tambem pra mim, mas ninguem queria fechar shows comigo mesmo sabendo que as composições eram minhas pois eu não estava mais na banda, então decidi sair do Power Metal e montei uma banda de Hard Rock, compusemos músicas rapidamente e fizemos varios shows era a banda Holycost, o que tenho a dizer sobre essa experiência com dElohim é que não os julgo hoje porque eles tiveram os motivos deles tambem, apenas quero que cada músico seja da liderança da banda como Thiago Lopes e Vitor Lopes sejam abençoados e os considero perdoados por mim, não foi fácil foram anos pra que esse perdão acontecesse em meu coração, me magoei muito com tudo que aconteceu entre agente e ate houveram muitas discussões após minha saída, os quero bem hoje, eu errei muito confesso, eles tambem erraram, mas Deus é um Deus de oportunidades e de amor, eu acho importante eu enfatizar meu lado humano nessa entrevista sem mascaras sem dizer que eu tenho razão apenas dizer que os amo em Cristo e tivemos muitos momentos abençoados também. Os desejo o melhor espero de uma vez por todas que esse assunto seja encerrado na mídia ou em off (pois sempre soube que eles não perdem oportunidade em dizer sua versão dos fatos em off, por isso pela primeira vez  desabafei aqui sobre em midia aberta) mas são aguas passadas não movem moinhos, é um fato. Eu erro tu erras e ele erra, o que faz a diferença é o amor e tolerância nesse mundo, assim penso…

Guicyberdude:

Poxa deve ter sido barra mesmo ein?

Lean Van Ranna:

Pois é, quem sou eu pra julgar? Estou em outra fase de minha vida e os quero realmente muito bem, são grandes músicos e grandes pessoas, eles tem muitas qualidades, fico feliz de termos sido ótimos amigos enquanto isso durou.

Guicyberdude:

Depois disso você assumiu os vocais da banda Menahem após a saída de seu vocalista que cantava em português, a banda sofreu uma mudança bem forte com novas linhas de voz todas em inglês registradas no ótimo debut full length  Angels and Shadows mas após pouco tempo depois da gravação você também deixou  o Menahem porquê?

Lean Van Ranna:

Sim muito obrigado, foi um ótimo disco e que eu amei gravar, viajava todo mês para gravar o disco Angels and Shadows (que tambem foi remasterizado pelo M&H estúdio e se encontra para download com uma qualidade brutal) esse ano , eram 11 horas de árdua viajem e eu não conseguia dormir no ônibus, mas graças a Deus deu tudo certo o disco alcançou grandes índices e boas notas na mídia especializada, era uma formação incrível que deixará saudades… Depois de algumas adversidades por conta da cultura de MG e nossas diferentes vertentes cristãs doutrinarias não tivemos como continuar, tive problemas de adaptação com a igreja da banda tinhamos visões diferentes, eles não eram underground sabe, não os julgo por isso, cada igreja tem sua visão, porem me impuseram um tempo em que eu estava conhecendo uma garota da igreja e completamente apaixonado e como um bom cristão tinha o intuito de ter um namoro sério, porem esse tempo sugerido na verdade não imposto no qual tinhamos de estar 2 meses sem conversar e se ver a garota quiz isso, a banda tambem quiz fui “pressionado” a viver isso e por não a conhecer quando começamos a caminhar juntos mas como amigos mais 2 meses tambem sugeridos pela igreja sem namorar apenas pra se conhecer, eu realmente já estava muito abalado e depois a garota decidiu me deixar dias antes da apresentação oficial de nosso namoro na igreja, e então eu cai numa profunda depressão (impressionante como as mulheres me deram trabalho no passado, hehe…) pedi a banda pra poder congregar numa igreja mais underground que conheci (isso tudo morando na cidade de Uberlândia MG na casa dos membros fundadores da banda, tinha deixado emprego e tudo na minha cidade natal Guaratinguetá SP pra ir morar lá.) então a banda disse que se eu não congregasse com eles não faria mais parte da banda e poderia voltar a SP, infelizmente mesmo tentando resistir mais um pouco, fui convidado a deixar a mesma… Foi muito traumático pra mim, após alguns meses Lucas o líder da banda então me ligou pedindo perdão e pra que eu voltasse a banda, achei nobre da parte dele! Mas na primeira oportunidade em que precisei da banda como foi em uma época seguinte do qual sai do Soulspell e não estava entendendo direito o porque, só precisando de apoio de meus companheiros de banda, senti que eles nem queriam saber de nada da história e não me senti apoiado no momento, foi quando discutimos por conta disso e mais uma vez fui retirado dos planos deles… Varias vezes tentamos voltar e dessas vezes sempre com uma dificuldade muito grande do lado deles,  porem não os julgo hoje, tivemos muitos momentos bons, um disco maravilhoso, shows tambem abençoados, mas não me encaixei com o perfil da igreja da banda por esses motivos e não sentia uma união como família que se entende e se perdoa sempre, banda pra mim tem de ser assim, eu sou tolerante com seus atos humanos e você com os meus, e seguimos em sinceridade diante uns dos outros e do Senhor. Enfim, tentamos varias vezes reatar mas a impressão que me dava que eles sempre tinham uma resistência a mim, não confiavam de coração então nunca iria dar certo, eu sou um cara muito fácil de perdoar, Deus é Senhor da chances, e sempre voltava a banda quando me procuravam, e da última vez eles me queriam apenas como músico contratado, pensei que iriam rever isso mas não quizeram, foi então minha saída definitiva, se quizerem ler minha nota sobre, só procurar na web por: Lean deixa Menahem, saiu em alguns blogs e sites como o Whiplash. Uma pena porque uma banda como Menahem é dificil de encontrar no meio cristão, caras com muito talento dentro do Prog Metal, e atualmente estão parados… Como veem os admiro como músicos pois são fantásticos no que fazem, espero que o novo CD com a nova formação que virá (e de acordo com a vontade do Pai numa nova chance que o Senhor sempre nos dá pela sua misericordia não é?), seja melhor ainda que  Angels and Shadows pra que a palavra de Deus continue sendo anunciada com qualidade mostrando que cristãos também sabem fazer boa música! hehe.

Guicyberdude:

Isso é verdade! rs… Mas que barra meu irmão? E como é seu relacionamento com as duas bandas hoje? Se elas te chamassem de volta apesar de tudo que aconteceu você voltaria?

Lean Van Ranna:

Com os membros do dElohim tento até hoje reatar a amizade mas não há mais confiança acho que mais pela parte deles pois por mim está liberado, já pelo lado do Menahem converso pela internet com Jessé e Israel, gosto muito deles, não guardo magoas, e de ninguém da banda, se quiserem estou pronto pra conversar e ser amigo tranquilamente, pois não guardo mais rancor, demorou mas também consegui liberar perdão, são pessoas maravilhosas, falhos como todos nos somos, mas cheios de desejos como nós de levar as boas novas do perfeito Trino Deus…  Por mim estaria lá ate hoje, tanto no dElohim como no Menahem cooperando pra obra de Deus, mas nem todos pensam assim, e nem todos tem o dom de perdoar e dar novas oportunidades assim como eu sempre fui a favor nessa vida desde que me entendo por gente no meio dessa fé que aprendi a crer e viver, Jesus foi assim com todos nós, e ate com seu discípulo Pedro por questões piores, e Jesus não precisava de Pedro, não precisava da amizade dele, Ele é Deus não é? Mas o fez, e o faz ate hoje! Não sou perfeito como Jesus, mas tento seguir os passos dele em tudo! Aqui apenas estou testemunhando minha vida nessa entrevista para edificar e fazer pessoas refletirem, bola pra frente, eu ainda acredito no amor e na mudança da humanidade, todos nós merecemos uma segunda chance! E como já disse do Menahem na pergunta anterior, que eles gravem lindos discos e levem a palavra até os confins da terra!
Guicyberdude:

Melhor assim não é Lean? Hum… Agora me diz uma coisa, você falava contra a música secular e de repente você entrou para o Soulspell? Como isso se sucedeu e porquê você deixou esse projeto também de uma forma brusca antes mesmo de ter gravado algo?

Lean Van Ranna:

Não tenho nada contra a música secular hoje, aprendi que tem muitas com lindas mensagens, e qual o problema de ouvir e cantá-las? Nenhum! Sobre o Soulspell  aceitei gravar após 3 anos de “assédio” de Heleno Vale a mim, (alias um grande ser humano) e nisso também fui convidado por ele para fazer as pré produções da parte vocal do disco e fizemos de 9 músicas e na minha concepção houveram umas mudanças bem significativas na linha melódica e harmônica vocal que ainda pretendia aprimorar na produção com os vocalistas em estúdio, então pedi a ele que me deixasse como co-produtor vocal sendo que Tito Falaschi era o produtor principal, eu apenas estaria tentando defender as linhas que fizemos e que ficaram lindas modéstia a parte, graças a Deus! Enfim, ele negou esse pedido, e disse que apenas sairia como “pré produção vocal” nos créditos do disco, me senti triste e na época um pouco decepcionado, então fui a comunidade da banda Soulspell no Orkut e postei que estava deixando o trabalho por uma questão de direitos autorais, em relação a idéias minhas na linha melódica que foi modificada, me expressei mal confesso, porque as músicas eram de Heleno isso nunca poderia mudar ele já as tinha composto a cerca de 2 anos de árduo trabalho, mas sim os arranjos novos pras linhas melódicas e harmônicas e mais uns trechinhos que não tinha eu fiz, e eram mudanças que realmente deram outra cara pras linhas melódicas, quem me conhece de perto e ouviu os arranjos percebeu a diferença em relação as midis que Heleno mesmo havia me mandado… Então  após a abertura de meu tópico dizendo que estava deixando o projeto e os motivos, a comunidade da banda recebeu cerca de 300 comentários em horas, foram duras críticas a minha pessoa… E realmente foi um transtorno e tanto pra mim… Mas graças a Deus hoje Heleno e eu estamos recuperados do episodio e somos novamente muito bons amigos… Sabe, eu acredito também que foi permissão de Deus, não era pra eu ter aceitado a proposta, o tema do Soulspell é bem diferente daquilo que acredito e levo como mensagem e muito a sério, se eu tivesse percebido isso antes, teria evitado tantos constrangimentos que perduram por um bom tempo… Mas hoje graças a Deus passou! E Soulspell tem ótimos músicos e cantores e segue dando sequencia a seu proposito no meio da música no metal nacional em âmbito até mesmo internacional, que Heleno seja muito feliz e conquiste muito realizando seus sonhos!

Guicyberdude:

Você teve um projeto com Germán Pascual (Narnia, solo) ou a idéia de montar um, porque não foi pra frente?

Lean Van Ranna:

Eu fui um dos primeiros amigos músicos de Germán aqui no Brasil logo depois que ele assumiu o Narnia, tanto que você pode ver no encarte do disco do Narnia com ele em seus agradecimentos pessoais lá está meu nome logo no começo…  Ele é um grande cantor, tem um timbre muito peculiar, talvez um projeto entre agente que seria um Battle vocal teria soado legal pois temos timbres e maneiras de cantar bem diferentes, mas com o tempo também ele foi se dedicando a muitos novos projetos e ate recrutou alguns músicos que tocavam comigo na formação antiga da minha banda  Auryah, essas coisas são complicadas, pois no solo dele tem um músico que deixou a banda e era nosso músico, compositor, arranjador, ou seja era tudo na banda! Agente usa composições dele ate hoje falo do grande baixista Raphael Dafras, eu sinceramente tinha medo de “ficar na mão” e perde-lo para o Germán que era mais famoso e tinha mais possibilidade de leva-lo a patamares mais altos na música por morar na Suécia e ter seu nome vinculado a uma das maiores bandas cristãs de todos os tempos o Narnia por ter gravado o ótimo Curse of a Generation… E o que eu temia aconteceu… Fiz de tudo mas não deu pra segura-lo, mas estou feliz com seu up na carreira, eles está ao lado da “nata” do metal internacional, é ate emocionalmente saber como ele começou com agente aqui humildemente sofrendo toda sorte de críticas e aguentando rojões no meio desse ainda “ingrato” metal nacional, (mas salvam-se alguns, ainda tem gente de bem que apoia e da força)…  Graças a Deus que colocou o produtor e guitarrista Felipe Borges (e também vocalista da banda AODE) no meu caminho e a banda Auryah está produzindo um lindo disco, a banda Doxo também e o Metal Opera Vitam Revocare e alias vocês podem conferir o nosso single Four Winds (banda Auryah), já está disponível! Hoje não tenho mais contatos com Germán, mas é uma questão de tempo eu creio, ele anda muito ocupado e eu tambem, amizades verdadeiras as vezes se abalam, mas duram para sempre. Como fruto de nossa amizade ficaram duas coisas, eu indiquei o Soulspell pra ele cantar, na época em que eu era braço direito de Heleno Vale, (antes de eu cair na real quanto aos temas do trabalho irem de cofronto com o que acreditamos, ainda tentei alerta-lo antes dele gravar, mas sem sucesso, ele tem sua maneira de pensar, levou como um trabalho profissional sem misturar as coisas), depois ele me deu um microfone lindo que fez parte de suas apresentações por anos, é um JLabs Suéco.  Quero que Deus o abençoe muito, é um grande cara, merece o melhor!!!

Guicyberdude:

Nossa Lean, você é um cara realmente difícil de lidar ein? rs… E como hoje você encara tais acontecimentos? Sempre sabemos de alguem que tem algo a dizer de sua conduta muitas vezes negativamente e pessoas bem distintas no meio metal, o que você tem a dizer sobre isso?

Lean Van Ranna:

Eu era um cara complicado não é irmão? Tive muitos momentos de 5 minutos, respondia a altura se me ofendiam ou me sentisse ofendido, e as vezes meio que surtava mesmo… Isso tudo principalmente na minha primeira banda, mas persistiu resquícios nos outros projetos posteriores também, era muito jovem e inexperiente na vida, eu achava que teria de agir assim, que isso era o correto, estava enganado, espero de coração que esses envolvidos possam me perdoar pois na maior parte das vezes eu fazia inconscientemente errava sem ter noção mesmo, ainda bem que o Senhor me alcançou e mostrou meus erros a mim e hoje graças a Deus sou finalmente uma nova criatura… Graças a Deus tudo isso é passado! Na Bíblia tambem existiram muitas “figuras” complicadas como o Apostolo Paulo quando ainda era Saulo, o Apostolo Pedro, e no Velho Testamento o Rei Davi etc… Não estou usando isso pra justificar meus erros ok? rs… Mas somos humanos e falhamos direto, ignorante é o cara que se diz santo e perfeito o tempo todo, talvez a diferença comigo é que eu tenho coragem de ser quem sou sem mascaras e não me esconder de ninguém quanto a minha maneira de pensar e agir, tento sempre acertar mas como humano muitas vezes erro apesar de também muitas vezes acertar, natural, com a graça de Deus vamos conseguir chegar lá! hehe… Hoje nesse momento em que vivo estou muito tranquilo, já perdoei de coração cada um dos que no passado eu sentia magoas ou ressentimentos, sei que todos erram, e não cobro e nem julgo mais ninguém. Não vamos ser hipócritas, quantas vezes julgamos as pessoas de coisas que nós mesmos um dia já fizemos ou acabamos fazendo depois? Porque aquele que está de pé cuide pra que não caia, e porque cuidamos de tirar o cisco do olho do irmão se muitas vezes tem uma trave no nosso? Então deixa Deus julgar, ele é perfeito e sabe o que faz muito melhor do que nós. Hoje quanto as críticas a mim, tenho procurado me calar e entregar nas mãos de Deus, só ele sabe quem sou hoje, me sinto uma pessoa regenerada do passado, perdoada por Deus e com um desejo enorme de dizer o quanto Ele é bom nos transforma e a tantas pessoas por ai a fora… Se eu estive errado com certeza vou pagar no tempo de Deus, tudo o que plantamos colhemos, mas esse mesmo Deus da justiça é o Deus das chances, da graça e do amor, como já te disse aqui e Ele tem o poder de transformar maldição em benção e usar quem você menos imagina, então cuidado pois a pessoa mais difamada pode ser a mais abençoada um dia e com frutos dignos, essa é graça maravilhosa de Deus, favor imerecido, reconhecendo nossos erros e tentando ser melhor a cada dia com a força do Senhor vamos chegar lá e alcançar os sonhos dEle pra nós! Hoje aos poucos estou me retirando das redes sociais, não que não venha a estar mais, e sim que uma assessoria assumirá em uns dias nossos projetos, é melhor assim, que não restem duvidas que trabalhamos pra Deus e pra levar as boas novas e que as polêmicas acabem de vez, se alguém disser algo se opondo, quem quer que seja e o que quer que seja prefiro nem saber, prefiro ter boas impressões de todos sempre, “acreditar que o mundo é perfeito e que todas as pessoas são felizes” (palavras de Renato Russo.. rs), posso acreditar nisso e lutar por isso pois isso acontecerá no outro plano, na eternidade, por enquanto todos somos falhos e sujeitos a errar, vamos aprendendo a lidar com isso com a força de Deus sendo pessoas melhores dia após dia, mais e mais.

Guicyberdude:

Você  fez algum teste para alguma outra banda secular além da experiência com o Soulspell?

Lean Van Ranna:

Sim, fiz teste para o Hangar estava “bem cotado” com o apoio de Heleno Vale do Soulspell na época, mas estava vivendo realmente um momento conturbado em minha vida pessoal, e todos que estudam canto sabem o quanto isso afeta a voz,  e não consegui cantar 10% do que gostaria no teste, mas entendo tambem como vontade de Deus pra nossas vidas… Atualmente fiz um teste para a banda Vougan  que tinha anteriormente Carlos Zema nos vocais, gravei um demo e a ideia que dei a eles era que só iria entrar na banda se eu pudesse escrever as letras, gostaram da primeira música que enviei que foi gravada sobre uma pré instrumental deles pus o nome de Letter From a Soldier e fala de uma carta escrita por um soldado em plena guerra, pode ser que venhamos a gravar um single dessa música apenas pois ficou muito bacana, mas entre isso e entrar na banda em definitivo é complicado, só Deus sabe, ainda creio que meu lugar é no meio cristão, abro o leque de possibilidades pois vivo de música mas se ainda não aconteceu de eu cantar secular é porque não foi da vontade de Deus até agora, e viver a vontade do Pai é a coisa mais importante, sempre oro e peço ao Senhor pra me tirar de algo que não for de sua vontade antes mesmo que eu grave oficialmente e Ele sempre tem dado graça e direcionado minha carreira.

Guicyberdude:

Amem meu irmão! Agora me conta sobre seus trabalhos musicais hoje e suas atuações como músico ?

Lean Van Ranna:

Bem, sou professor de canto da IMTS http://www.imts.com.br é uma escola de música licenciada pela EM&T e contém sua metodologia, também gravo jingles publicitários, locuções, canto em casamentos, eventos, funerais, bailes funks… rsrs… (esses dois últimos ainda não fiz… rs)  ministro workshops, workclass, workshows, adoro “workar”… rsrs… Atualmente faço eventos com banda de apoio solo tocando sons que já gravei no passado, composições e gravações atuais mais covers. Sou vocalista das bandas Auryah e Doxo de Power/Prog Metal e estou gravando um CD com cada uma delas, e tenho um projeto  chamado Vitam Revocare que será um Metal Opera Cristão, que contará com grandes vocalistas cristãos e até amigos de bandas seculares louvando a Deus conosco!

Guicyberdude:

Bem Lean, muito obrigado por essa entrevista esclarecedora, hehe… Você já falou demais, rs, seja breve nas suas considerações finais ok? rs

Lean Van Ranna:

Hahaha, ta certo, verdade… Só queria fazer um convite a vocês pra conhecerem meu trabalho no www.myspace.com/leanrannavocals  e add meu Facebook http://www.facebook.com/LeanVanRanna que lá vcs vão encontrar os sites e redes sociais de minhas bandas e projetos.  Nosso Vídeo Clip do novo Single Four Winds da banda Auryah com imagens de grandes filmes num conceito do grande artista gráfico Cleyton Souza  www.myspace.com/cleytonsouzartwork   já está no ar, confiram em nosso canal oficial no Youtube: http://www.youtube.com/user/Auryah#p/a/u/0/EfSbxUIt99c

Mensagem para os irmãos cristãos que tem ministérios:

O que realmente destrói um ministério é a falta de compromisso com Deus, depois disso os mesmos por não estarem bem começam a difamar e dizer mil coisas e etc porque? Porque quem tem o amor de Deus não troca um ministério por um prato de lentilha e depois sai perseguindo a pessoa do qual ela perdeu (a palavra á uma faca de dois gumes, isso serve pra o lado da banda e do músico que a deixou), igual a historia de Esaú e Jacó, só ler a Bíblia, orar e vigiar é uma prática da qual pouquíssimos compactuam hoje. Crescer em Cristo faz a diferença, matar o nosso velho homem a cada dia nos ajuda a levar o evangelho e verdadeiro.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 1 Coríntios 13:11

Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto. João 12:24

Mensagem a todos:

Agradeço pela oportunidade me dada de abrir meu coração nessa entrevista e os convido a conhecer esse Deus de amor e graça que me transformou e ainda está completando essa linda boa obra na minha vida, vale a pena pessoal!

Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. 1 João 3:1

Porem…

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

Deus os abençoe em Cristo Jesus! Abraços.

De seu amigo e irmão Lean Van Ranna.

h1

Sinbreed – Entrevista

20 de maio de 2010

Sinbreed - Entrevista Power Metal Prog

Lembrando que as ideias mostradas são do Guitarrista da banda:
Entrevista com o Guitarrista Flo do Sinbreed
Banda Sinbreed é uma banda de “White Metal” ou não ?
Ela possui o vocal do Seventh Avenue que é uma banda de Power Metal “white”, mandei um e-mail perguntando para banda, se a banda Sinbreed era classificada como “White” também, segue o e-mail:

Eu:
I like Seventh Avenue, but SinBreed is White Power Metal Band ? please send lyrics for me.
PT
Eu gosto Seventh Avenue, mas SinBreed é uma banda de Power White Metal? envie a letra para mim.

Resposta do guitarrista da banda:
kind of white metal, yes 🙂
lyrics will be out with the final cd!thanks my friend,
FLo

PT
tipo de White Metal, sim 🙂
Letra da música será no cd final!

Obrigado meu amigo,
Flo

thanks
———-
Depois de algums meses que a banda divulgou mais seu trabalho, resolvi
fazer uma entrevista com eles, e perguntei algo relacionado e obtive uma Resposta Diferente da mesma pessoa.

hi guilherme,

thanks a lot for the questions you send.
Before i’m going to answer them, here is one question from my side:

did you realize that sinbreed is not concidered to be a white metal band
and that we do not share any religion beliefe in our music?
you know, what i personally believe and what religion i choose is my
personal interpretation, but sinbreed is no place to promo this.

being with god is a personal decision, and in my opinion not to be
promoted by a band i’m playing in.

so do you want me to still answer your questions?

thanks
PT
oi guilherme,muito obrigado pelas perguntas que você enviar.
Antes que eu vou respondê-las, aqui está uma pergunta do meu lado:você percebeu que sinbreed não é considerada uma banda de White Metal
e que nós não compartilhamos religião na nossa música?
você sabe, que eu pessoalmente acredito que a religião e eu escolhi é a minha
interpretação pessoal, sinbreed não é lugar para essa divulgação.

estar com Deus é uma decisão pessoal, e não na minha opinião deve ser
promovido por uma banda que eu estou participando

Então você quer que eu ainda responder às suas perguntas?

obrigado


Fiquei sem entender porque respostas diferentes.. ou foi mal interpretação minha na primeira resposta ? xD

Agora segue a entrevista com a banda (guitarrista Flo):

1- Olá, a banda SinBreed segue influências de quais bandas ?

Olá Guilherme,
Eu nunca me importei muito sobre como as outras pessoas escreveram suas canções. Claro que eu sou influenciado por ouvir toneladas de discos de metal, mas nunca com o objetivo de copiar ou adotar partes inteiras. Eu diria que é Power Metal americano para comparar Sinbreed do Power Metal europeu médio. Uma das minhas bandas favoritas é Vicious Rumors (em seus 80s e 90s). Lá você encontra uma musicalidade excelente, grande voz, e power!
Então talvez eu sou influenciado por todas as bandas que mostrar que tem bolas quando o metal poder jogar.
Então talvez eu sou influenciado por todas as bandas que tem qualidade o quanto o metal podem mostrar.

2- O que você pode falar sobre o álbum When Worlds Collide ?

Desde WWC é o nosso disco de estréia, foi tudo muito emocionante quanto você pode imaginar. Principalmente que eu não sou apenas o principal, assumi o cargo do produtor também, que estava desafiador. Markus Teske quem gravou os vocais Herbie e faixas de Frederik’s na Bateria, fez um trabalho incrível. Assim, mesmo que as gravações foram no silêncio do estúdio, o resultado soa muito simples e estou plenamente satisfeito com a mistura de som e todo o registro. Ao falar sobre as músicas, quero salientar que em todas as 10 músicas que você encontrar um material pesado, ele é melódico também, que é possivel fazer você balançar a cabeça (headbanging) imediatamente.

3- Qual a religião ou crença de cada membro da banda ?

Desculpa, mas as convicções pessoais de cada membro deve ficar com eles.

4- Qual a mensagem principal que esse álbum quer passar ?

Você é livre para escolher. Nas letras Sinbreed é possível encontrar uma interpretação pessoal do que é a chave para a vida, o que é bom, o que é mal. Que essa chave é, podem variar muito de pessoa para pessoa. Acredito que vale a pena pensar sobre a vida em vez de vivê-la dia após dia – sem ter um plano pessoal.


FIM

Para ver a Entrevista em Inglês continue lendo:
Read the rest of this entry ?

h1

Entrevista – Ricardo Soares

18 de fevereiro de 2010

Ricardo Soares Hightway

Como sua carreira começou?

Bom eu tive a sorte de nascer numa família bem musical então o meu contato com a música foi logo na infância, mas de maneira profissional comecei dando aulas de guitarra e violão. Lembro que a minha professora de inglês veio me perguntar se eu era músico e dava aulas, eu disse que só tocava em uma banda. Ela perguntou se eu não poderia dar aulas de violão pro filho dela, aí como precisava de uma grana topei. No mesmo dia fui à uma loja de instrumentos musicais e comprei alguns métodos pra usar nas aulas e de lá pra cá nunca mais parei! Hehe

Quais os equipamentos utilizados para fazer o som do seu álbum Highway?

Usei várias guitarras Tagima de acordo com o que a música pedia, como: JA1, E1 Custom, TG 635, TG 735 PLUS e na faixa “Great Is Thy Faithfulness” usei uma Les Paul Custom da Epiphone. Usei todos os meus pedais Nig como: Amp Simulator, Shred Pro, Dual Drive, Multi Fuzz e Vintage Distortion, Dual Chorus. Usei também um Boss Super Shifter, e um Morley Bad Horsie 2 Wha. Cordas Nig 009 para afinação padrão e 010 para as duas faixas cantadas do disco, onde uso afinação 1 tom abaixo. Em algumas faixas usei um DD3 da Boss, mas a maioria dos delays foram inseridos na mixagem. Amplificador usei um hand made George Tube de 40 Watts com falante de 12. O som desse ampli é animal. Usei 2 microfones, um Shure dinâmico na frente do falante e um Behringer B1 para captar a ambiência.

O que você diz sobre a produção do seu álbum Highway?

Bom a produção do disco ficou por minha conta mesmo. Procurei deixar o disco sem aquela cara de “disco instrumental para guitarristas”, desde os timbres até na escolha do repertório. As 2 músicas cantadas refletem isso. São poucos os guitarristas que lançam trabalhos solos com músicas cantadas. Acho legal isso porque o disco não fica cansativo de ouvir.

Você já participou de quais bandas?

Já participei de tantas bandas que até perdi a conta! Hehe Uma que eu destacaria seria a extinta Afterdeath. Foi umas das pioneiras do White metal no Brasil. Inclusive a música “Credo” de autoria da banda, foir regravada pela banda Trino, e é uma das preferidas do público até hoje.

Deixe uma palavra para o pessoal que está lendo sua entrevista:

Em primeiro lugar gostaria de agradecer pela entrevista e dizer que através do meu site: www.ricardosoares.net é possível comprar o meu CD de qualquer parte do Brasil.

E se você tem um sonho, acredita e trabalha por ele, mais ou mais tarde as coisas acontecem!

Um abraço e um Bend!
——–
Para quem não conhece AFTERDEATH
AfterDeath Band

Para quem não conhece o trabalho do RICARDO SOARES
Ricardo Soares HightWay