h1

Lean Van Ranna em entrevista exclusiva fala sobre polêmicas do passado e lança novo trabalho!

12 de setembro de 2012

Image

 

Lean Van Ranna é músico cantor, produtor vocal, sua carreira no Heavy Metal teve seu auge com o lançamento junto a uma banda de Prog Metal, participou de outras bandas e teve diversos convites como, por exemplo, foi cogitado como um dos papeis e até mesmo o papel principal de um dos CDs de uma Metal Opera a nível nacional, fez as pré produções vocais do Act II e também de músicas do Act III da mesma que ainda não foi lançado ate então, numa enquete a nível Nacional ficou entre os oito melhores vocalistas de Metal do país, fundador das bandas Auryah, UnknownGod, e idealizador de projetos como o Vitam Revocare – The Ultimate Opera, atualmente Lean lançou um CD Demo com sua banda atual Van Heavens que conta com um estilo bem diferenciado do Metal, um som mais na linha da mistura de New Age e World Music contendo letras cristãs, algo que por ele foi chamado de Avant-Garde Music, baixem-no através do link: http://d01.megashares.com/index.php?d01=F3jyNHy

Atualmente Lean está trabalhando uma banda de Hard ‘n Heavy chamada Living Rock com suas primeiras músicas e seus trechos divulgados com letras em português, mas ele diz que não estão descartadas versões em inglês futuramente, para maiores informações desse trabalho acessem o link: http://livingrockbrazil.blogspot.com.br/

 

 A banda já está trabalhando num álbum Full com raízes no Prog Metal e com muitas surpresas para breve! Lean em entrevista exclusiva e sem medo de “retalhações” vai contar tudo envolvendo seu nome sobre as “polêmicas” de sua carreira dentro do Metal ate então!

 

 

Primeiramente Lean obrigado pela entrevista e gostaria de saber primeiramente o que te levou a falar em aberto sobre esses assuntos?

R: Resolvi contar o lado polêmico da minha história até então após muitos problemas que tive e venho tendo ao me aproximar de pessoas que acabam tendo uma visão errônea e distorcida dos fatos de minha vida e sobre meu caráter ao se envolver com alguns que de alguma forma tentaram ou tentam me prejudicar ate hoje, então essa entrevista é para saberem meu lado dessas estórias, o lado da verdade dos fatos, pois prezo por sinceridade e verdade sempre. Por uma questão de ética não citarei nomes, pois não quero prejudicar ninguem, mas quem vem acompanhando minha carreira facilmente saberá de quem estou falando.

Então conte-nos como e quando você começou a perceber essas dificuldades no meio Metal?

 

R: Tudo começou quando deixei minha primeira banda que faz um Power Metal melódico, um dos membros fundadores  da mesma tinha muitos contatos via internet com muita gente do meio “White Metal” e metal secular, e sempre que tinha a oportunidade falava mal de mim a esses, sempre que eu conhecia gente nova no meio White ou metal secular, essa pessoa já sabia da versão dos fatos de minha saída e convívio com a banda quando fazia parte dela contada por esse membro fundador de minha primeira banda, e isso se tornou um incomodo e uma dificuldade muito grande de continuar, pois em qualquer banda que eu começava já percebia que eu estava “pisando em ovos” pois era o tempo todo “sondado” pela mesma para ver se eu não tinha as atitudes das quais esse membro já havia os “reportado” sobre antes…

 

E como você lidava com isso? Acontece ate hoje?

 

R: Lidei sempre com muita dificuldade, quando assumi uma banda de Prog Metal em Uberlândia, deixei toda minha vida em SP e fui morar naquela cidade com pessoas que nem conhecia direito (membros da banda), era uma cultura diferente (MG em relação a SP da onde tinha vindo), era uma igreja diferente, da qual não me dava a liberdade que gostaria ter, nem para namorar, rs, isso mesmo! Conheci uma moça lá da igreja e queria um relacionamento sério pra casar, mas a igreja separou agente por dois meses e acabou não dando certo, nisso, aquele membro da minha primeira banda de Power da qual deixei aproveitou mais uma vez para dizer “coisas” de mim a banda de Prog, e no meu momento de fragilidade eu disse a banda de Prog que não concordava com a visão da igreja e queria estar em outra igreja, mas eles já “contaminados” com as palavras do membro fundador da de Power  sobre mim, me acusaram de rebelde e disseram que se eu não fosse membro da igreja deles teria de deixar a banda e voltar pra SP, e foi o que aconteceu… Mesmo agente tendo um CD gravado, com ótimas resenhas nacionais e internacionais não pudemos dar seqüência nem mesmo a turnê do trabalho que foi interrompida antes mesmo de começar, rs, por essa situação desagradável.

 

Então esse foi o motivo de sua saída da segunda banda citada?

 

R: Sim

 

Quando você voltou para SP assumiu uma outra banda o Southern Lights, (nome mudado depois para Auryah) e ao mesmo tempo foi pré produtor vocal de uma Metal Opera conhecida a nível nacional e não deu seqüência a esses trabalhos, o que aconteceu exatamente?

 

R: O líder fundador e idealizador dessa Metal Opera me convidou para uma participação na banda como um dos vocalistas e também do seu Avantasia Cover muitas vezes desde o final de 2006… Relutei quase todas às vezes, ate que decidi aceitar quando a proposta era pré produzir todas as linhas vocais do CD, dando direção, melódica e harmônica vocal ao mesmo, eu não tinha muita experiência sobre, pensava que quem produzia também tinha os direitos autorais mesmo assim não os quis, queria apenas ser citado como co-produtor vocal ao lado do produtor de renome nacional que ele escolheu para a produção geral do projeto. Porem o nome dele falou mais forte e meu trabalho foi descartado, todo meu planejamento e produção não teria o resultado que gostaria do qual foi o único motivo que me fez aceitar entrar no projeto, o de ser co-produtor vocal do trabalho, então me desliguei da banda e fui muito criticado a nível nacional. O Líder e idealizador dessa Metal Opera chegou a comentar publicamente que eu poderia vir a ser em breve um dos melhores vocalistas do mundo superando ate o Mestre Jorn Lande (eu NUNCA falei isso de mim, era o que ele dizia), e simplesmente me deixou na mão depois e paciência… Porém ano passado conversamos e o perdoei e a Metal Opera está ai para lançar mais um novo CD e dar seqüência ao seu trabalho.

Ps: Tenho aqui músicas das pres vocais que fiz do Act III que ainda não foi, mas está prestes a ser lançado!

Quanto ao Southern Lights mudei o nome para Auryah, pois havia uma banda homônima no sul dos Estados Unidos, perdemos músicos importantes como o baixista e produtor atualmente com o ex vocalista da maior banda de White Metal sueca tocando e ajudando nas produções do CD solo do cantor citado. Isso atrapalhou muito a continuidade do Auryah, mesmo assim contratei um produtor para produzir o CD do Rio de Janeiro, vocalista de uma banda de Prog Metal cantada em português de lá, mas também músico guitarrista, paguei uma quantia para ele produzir o Auryah e a metal Opera Vitam Revocare que estava desenvolvendo, sendo que no Auryah ele ainda tocaria as guitarras, lançamos um EP do qual apenas o Single Four Winds ele produziu, o restante ficou a cargo de mim e outros produtores, foi então que ele desistiu do trabalho e me devolveu “parte” do dinheiro na forma de um Mic Condensador e o restante ficou por isso mesmo.

 

 

E então você começou o UnknownGod Lean, o que deu errado?

 

R: Sim, convidei um músico guitarrista e produtor de SP que iria assumir as guitarras do Auryah e a produção do CD Full já que ele estudou num ótimo instituto de mixagem e masterização em SP e trabalhou na Sony Music, mas eu achei mais interessante começar uma idéia que tinha com um vocalista e produtor proprietário de um estúdio em São Bernardo do Campo da qual tínhamos conversado desde que o conheci no inicio de 2011, montar uma banda com dois vocalistas, um com pegada mais extrema e outro mais melódica, estava montada a banda UnknownGod e chamamos esse guitarrista produtor e o tecladista do Auryah para o posto de guitarrista e tecladista respectivamente assim como outros músicos para compor a equipe. Então gravamos um Single do qual lançamos no fim daquele ano juntamente de um EP muito legal, era pra o EP inteiro ser lançado de graça na net, mas eu sugeri esperarmos por uma gravadora e transformarmos num CD adicionando mais umas três músicas já que a qualidade superou nossas expectativas! No entanto, fui morar em São José dos Campos, pois estava tendo alguns problemas familiares quanto à aceitação por parte de minha família na época de minha namorada (hoje minha esposa), algum preconceito por não a conhecerem bem por ela morar até então no Nordeste do país, ou sei lá, (hoje completamente superado, tudo está muito bem, inclusive com minha família), nos mudamos com proposta garantida pela igreja do até então meu amigo tecladista do Auryah e UnknownGod da qual eu gravaria o CD do ministério de Louvor da igreja como um dos vocalistas e seria produtor vocal do mesmo, além das aulas de canto para o grupo de louvor da mesma extendidas também aos membros que solicitassem. Fui muito bem acolhido numa casa mobiliada cedida por uma das membras da igreja, porém todos os gastos com alimentação para mim e minha esposa seriam por nossa conta. Foi um mês ali e nada de produção muito menos aulas, eu tive de rodar a cidade procurando alunos para poder me manter e a igreja ajudou com um botijão de gás, 20 reais e uma cesta básica, sendo que a casa não tinha geladeira, comprávamos o que podíamos consumir num dia, e faltavam muitos alimentos básicos na cesta e estávamos passando necessidades, foi quando liguei para o Pastor da igreja (tenho esse telefonema gravado) sugerindo que fizessemos um contrato assegurando todos os meus serviços prestados à igreja. Ele não aceitou e ainda disse que eu tinha poucos dias para deixar a casa, não satisfeito com a conversa ele foi ate a casa que eu estava e quando comentei aquilo que não me agradava ao mesmo ele me agrediu, naquele momento fiquei muito abalado, mas já procurando um jeito de sair daquele local… O tecladista quando soube da história pela versão do Pastor (que é tio dele) ou de alguém próximo ao Pastor,  contou para os membros da banda UnknownGod, fez uma nota sobre sua saída da mesma e contra mim em rede social e desligou-se da mesma. Após algum tempo e eu alertando o outro vocalista para tomar cuidado com as “más línguas” de pessoas que nem da banda eram mais, (caso desse ex tecladista do UnknownGod e também os demais que se “contaminaram” com as “palavras” daquele músico da primeira banda de Power que fui membro e eram meus “inimigos”), o outro vocalista da UnknownGod reuniu a banda com ajuda do guitarrista e produtor da mesma (dos quais acreditaram nas mentiras do tecladista que soube dos fatos em São José distorcidos por terceiros sem estar presente aos mesmos) e me tirou da banda UnknownGod (mesmo eu sendo o membro fundador e ate quem sugeriu o nome da mesma) e publicou uma nota internacional em inglês e outra em português via rede social, me fazendo assim também perder a oportunidade de gravar com uma banda de Rock Prog no estilo Oficina G3 que indiquei para ele produzir e eu tinha sido recentemente anunciado como vocalista. E então eu fui a público como líder fundador da banda UnknownGod e  notifiquei que a banda não iria continuar mais e que o CD seria disponibilizado, coloquei o Link do mesmo na internet! O outro vocal se enfureceu e num ato de vingança sem precedentes divulgou um vídeo com conteúdo difamatório terrível sobre minha pessoa, recheado das mentiras que o tecladista tinha ouvido sobre mim e o contado. Desde então foram inúmeras tentativas de retomar a banda sem sucesso. Foi então que o tecladista me ligou e pediu perdão do acontecido e eu que nunca tinha exposto a ele publicamente (ao contrario dele que ate nota já tinha feito sobre sua saída da banda e sobre um possível atrito comigo que a meu modo de ver não tinha ocorrido, aconteceu um atrito com o Pastor e tio dele mesmo assim hoje resolvido) resolvi perdoar e dar uma nova oportunidade a ele montando a banda Van Heavens Chronicles com parceria num projeto DUO com o tecladista.

 

Então assim que surgiu o Van Heavens, e como está a banda hoje?

 

R: Bem, uma das atitudes que tive antes de montar o Van Heavens foi ir ate a igreja do Pastor e tio do tecladista publicamente pedir perdão aos membros e ao Pastor mesmo sabendo que não tinha motivos, pois a palavra de Deus pede pra nos humilharmos e eu estava cumprindo a mesma, fui bem recebido, o Pastor também me pediu perdão (mas não em público, apenas a mim e disse que iria precisar ainda de minha ajuda na produção do CD da igreja) e então começamos o tecladista e eu a planejar como seria o Van Heavens Chronicles, selecionamos músicas e começamos a desenvolver a idéia e produzir o trabalho que de Metal Progressivo teve uma amplitude de idéias bem mais expansiva e elaborada. Após um tempo vimos a necessidade de colocar mais músicos na banda e não ser apenas um projeto DUO meu junto ao tecladista. A banda ia muito bem, temos um demo recentemente lançado com músicas atmosféricas, num estilo não tão convencional, bem experimental e galgado na idéia de trilhas sonoras de filmes entre estilos variados acústicos. Foi quando o tecladista decidiu se desligar da banda para dar ênfase a projetos Pop Gospel. Sinceramente me senti muito traído a principio, por não ser a primeira vez que ele começava e não terminava um trabalho comigo, falei com ele e com músicos envolvidos em trabalhos que eu participava com ele de música Gospel da minha decepção, foi quando ele e eu mesmo tendo decidido não falar nada em aberto sobre o assunto, ele postou em rede social aberta em fóruns sobre sua saída de forma pejorativa dizendo que eu havia dito coisas terríveis dele quando elese desligou da banda e etc. Sendo que eu apenas disse que pela segunda vez ele tinha me deixado na mão em quatro meses mesmo nos conhecendo há quatro anos e coisas do tipo, confesso que disse de uma forma visivelmente mais pesada como um desabafo decepcionado (porém sem palavras torpes) pois me encontro cansado dessas “palhaçadas”, mas era um assunto particular tratado com ele e membros do grupo de louvor que participavamos via In box  do Facebook (inclusive um com carreira solo da qual ele assumiu os teclados nas gravações e composições dele) e não algo que tinha de parar de forma pública, esse foi um dos motivos que me levaram a me dirigir dessa forma nessa entrevista e dar minha versão resumida dos fatos, vamos parar com mentiras e manipulações a verdade precisava aparecer de fato, mesmo que resumida e sem “dar nomes aos bois”. O tecladista após o último ocorrido novamente me liga, pede perdão e eu o perdôo mais uma vez e digo que faria um comentário sobre o assunto abrindo um tópico em um dos grupos que o assunto tinha sido mais comentado dizendo que não passou de um mal entendido via In Box e foi exatamente o que ocorreu, todas as conversas foram por lá, e o leva e traz e “fofocaiadas” de praxe caíram na rede aberta! Mas infelizmente ele voltou a me ofender por mensagens dessa vez por SMS, então fui ate ele pessoalmente e disse que nossos contatos acabariam ali, infelizmente tive de me  me afastar completamente para evitar mais constrangimentos.  

O Van Heavens Chronicles na verdade foi uma serie de trechos instrumentais dos quais já existiam anteriormente não só desse tecladista como de outro que também tocava guitarra na banda dos quais trechos eu os reorganzei, produzi e criei linhas melódicas os transformando em músicas atmosféricas, a música Silent Breeze tem todos os arranjos pertencentes a mim e não foi gravada por nenhum tecladista, verdade seja dita, mas não me importava que outros levassem os créditos, é a primeira vez que falo sobre, acho que de tanto tomar essas pancadas tenho de confessar como desabafo o quanto dava créditos aos músicos que tocavam comigo as vezes sem eles desenvolverem o trabalho com o empenho que precisávamos, fazia isso como maneira de incentivá-los, algo que não farei mais daqui por diante, verdade seja dita! Vocês podem baixar esse trabalho nesse link: VAN HEAVENS CHRONICLES – DEMO 2012 – ACOUSTIC & ATMOSPHERIC, BAIXEM!!!      http://d01.megashares.com/index.php?d01=F3jyNHy

Infelizmente após os últimos acontecimentos a banda não continua mais.

Conte-nos um pouco Lean quem são as pessoas e os motivos delas terem algo contra você no meio Metal?

 

R: Bem, tudo começou com os irmãos e fundadores da banda de Power da qual fui membro entre 2003 e 2007  um deles ultimamente mudou bastante e tem se mostrado mais imparcial a tudo isso, inclusive voltou com a banda mas o outro que ate hoje da margens a discussão não está mais na banda. Desde que eles começaram a falar de mim ao meio Metal Nacional cristão e secular minha vida se tornou um inferno, e eu costumo dizer que existem 3 tipos de pessoas que passam pelo meu caminho no meio Metal:

 

1-      As que esse cara falou mal de mim e por esse motivo tem extrema dificuldade de acreditar em mim e desenvolver um trabalho comigo tornando-se tudo mais difícil.

2-      As que esse cara falou mal de mim e não se importam (aparentemente) com o que ele ou as pessoas que ele influenciou dizem, mas sempre que tem uma oportunidade ficam com o “pé atrás” comigo transformando as vezes mínimas situações em uma chance de me derrubar ou me descartar de medo que eu as prejudique também. rs

3-      As que não conhecem esse cara e nem as pessoas que ele influenciou negativamente contra mim, essas eu sempre me dei muito bem, incrível não? rs

 

Todos sabem que calunia e difamação é uma bola de neve, óbviamente isso se alastrou e tem muito mais gente que me “odeia” e não me respeita ainda hoje, isso me prejudicou muito até então, por isso não citei nenhum dos nomes que conheço e sei também de pessoas que ate nem me conhecem pessoalmente e outras que nunca nem se quer conversaram comigo, mas me tem como uma grande “perturbador da força” do meio Metal nacional. rs. Pessoas que não confiam na minha palavra, nos meus conselhos, e até no meu profissionalismo cmo músico, enfim, é um meio complicado pra mim, mas sou brasileiro, não desisto nunca! rs

 

E quais são seus planos futuros?

 

R: Atualmente estou com um novo e definitivo projeto que se chama Living Rock, foi necessário recomeçar do zero novamente porem estamos com muito pé no chão e coração no céu, mais do que sempre, e isso nos faz fortes pra recomeçar a missão em nome de Jesus que é fazer Rock/Metal em prol do Reino de Deus. Escutem e baixem o nosso Single, sigam-nos nas redes sociais e saibam mais sobre em nosso Blog Oficial que sempre será atualizado com news e vídeos sobre como estão nossos trabalhos: http://livingrockbrazil.blogspot.com.br/

 

E tem mais coisa boa pintando, espero que o mais breve possa anunciar, mas como já tenho dito estamos com os pés no chão hoje em dia mas trabalhando e orando com novos projetos abençoados pra glória do Senhor.

 

Obrigado Lean pela entrevista que Deus abençoe sua caminhada!

 

R: Eu que agradeço, e em nome do Living Rock desejamos o melhor de Deus a todos, e que a verdade que liberta continue transformando vidas através da Graça e amor de Jesus Cristo! Amem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: